Primeira viagem sozinha para a Europa: 45 dias viajando por 10 cidades e 7 países

por | Atualizado em 14/07/23 | Amsterdã, Atenas, Barcelona, Espanha, Europa, França, Grécia, Holanda, Inglaterra, Itália, Lisboa, Londres, Madri, Milão, Paris, Portugal, Roma, Roteiros by Rogerio, Veneza

A Giulia montou um roteiro personalizado com o consultor Rogério Milani e fez sua primeira viagem sozinha para a Europa passando 45 dias em 7 países diferentes! Confira o relato pessoal dela, com dicas de hospedagem, custos, questões de segurança para mulher e muito mais.

primeira viagem sozinha para a europa

Primeira viagem sozinha para a Europa: a experiência da Giulia

Em abril desse ano, a Giulia fez sua primeira viagem sozinha para a Europa, visitando mais de 10 cidades em 7 países diferentes durante 45 dias. Ela já havia viajado sozinha para outros lugares, mas nunca para a Europa, e contou com a consultoria do consultor Rogério Milani para realizar esse sonho.

A sua única exigência era passar um bom tempo na Grécia e começar a viagem por lá. No roteiro que ela realizou (e adorou!), foram 2 semanas na Grécia, com base em Atenas, e o restante do tempo em Roma, Veneza, Milão, Barcelona, Madri, Lisboa, Londres, Paris e Amsterdã. Assim, sua viagem contou com 10 cidades que ela passou pelo menos uma noite e outras que fez bate-volta, conhecendo 7 países interessantíssimos.

A seguir, confira o relato pessoal da Giulia sobre cada cidade do seu roteiro personalizado de viagem e como foi sua experiência. Ela fala sobre perrengues de viagem, a receptividade (ou a falta dela) dos moradores locais e dicas de hospedagem e locomoção pelas cidades onde passou. Além disso, também comenta sobre as dificuldades de comunicação tendo como idiomas o português fluente e inglês a nível intermediário.

Giulia também compartilhou sua experiência com abordagem de homens nas ruas pela Europa e situações de assédio em determinadas cidades. Se você pensa em viajar sozinha para a Europa, esse artigo é pra você! 🙂

primeira viagem sozinha para a europa

Atenas

Comecei minha viagem pela Grécia porque era um lugar que eu queria muito conhecer, em especial Atenas, e minha experiência foi incrível! Esperei muitos anos da minha vida para visitar e passei as 2 semanas iniciais da viagem muito feliz de estar lá.

No roteiro que o Rogério fez em um primeiro momento, ele me sugeriu ficar em Atenas e fazer bate-voltas para outras cidades, mas eu sentia vontade de dar um giro pelo país. Por isso, ele montou uma viagem passando por Arachova, Olympia, Nafplio e depois com retorno para Atenas.

Apesar disso, devido ao clima e época do ano, o transporte por essas cidades, mais especificamente a passagem entre Olympia e Nafplio, seria um pouco mais complicado. Assim, optei por fazer algumas alterações para não me preocupar com transportes por lá e seguir a primeira sugestão do consultor.

Dessa forma, passei 2 semanas inteiras em Atenas e fiz bate-volta para os demais lugares que queria conhecer. Realmente, foi a opção mais prática.

Hospedagem em Atenas

Sobre a hospedagem, em Atenas eu fiquei em dois lugares: o @Syngrou Fix e o Mosaikon Hostel.

No primeiro, fiquei em um quarto privado durante cerca de 10 dias e achei muito bom! Localização boa, café da manhã incluso excelente, serviço de quarto e bom atendimento. Não tive nenhum problema.

O segundo foi um hostel que também achei ótimo, sem nenhum incômodo. A localização era ótima, bem no centro, com bares e outros entretenimentos. A indicação foi do consultor e me atendeu muito bem. Meu único problema com o hostel foi que, aparentemente, ele tem três nomes diferentes. Assim, tive um pouco de dificuldade de encontrar, mas nada além disso. Apesar dessa questão, valeu a pena a hospedagem.

Para acessar outras hospd

Comunicação e transporte em Atenas

Sobre a comunicação, não foi um desafio pois a maioria das pessoas falavam inglês na Grécia, o que facilitou muito minha vida. O único contratempo que eu tive nessa parte da viagem em si foi que eu perdi meu voo para Roma, mas isso foi um descuido meu, sem nenhuma relação com o itinerário feito pelo consultor.

Roma

Saí de Atenas e fui para a Itália, ficando bastante tempo lá, pois visitei Roma, Veneza e Milão. O primeiro destino foi Roma, mas eu não tive uma boa experiência na cidade, muito pelo contrário. Minha percepção sobre as pessoas de Roma foi que elas foram super mal educadas.. 

Em todos os lugares que fui, eu aprendi a comunicar no idioma local que eu não sabia falar aquele idioma, e pedia para conversarmos em inglês. Eu faço isso como uma forma de respeito, mas em Roma toda vez que eu mencionava o inglês eles fechavam a cara. E sinceramente, eu fiquei confusa, porque vi outras pessoas na mesma situação sendo bem tratadas e pensei que o problema pudesse ser comigo. Uma situação muito chata e desconfortável.

Por mais que Roma tenha seus lugares bonitos, eu não voltaria lá, pois me senti muito mal com isso. O único dia legal que eu tive na cidade foi quando fiz um passeio por lugares assombrados. Além disso, achei a cidade super cara, só não tanto quanto Veneza, mas vou entrar nisso depois.

Hospedagem em Roma

Em Roma, eu me hospedei no Rome Center Rooms. Era um quarto na cidade, perto do Vaticano, cerca de 10 minutos de metrô das principais atrações. A locomoção não era uma questão pra mim, mas eu não gostei nada do quarto. Por mais que tivessem pessoas trabalhando lá e um chuveiro legal, a cama era horrorosa e me deu uma forte dor nas costas.

Para saber como fazer escolhas em relação à hospedagem em Roma, recomendo ler o artigo do blog que fala sobre todos os bairros por lá, com vantagens e desvantagens. Além disso, aqui também tem um artigo completo com dicas de hospedagens aprovadas por outros viajantes para a cidade.

Veneza

Gostei muito de Veneza e não tive problema com a locomoção. O Rogério me indicou ir de trem e deu super certo, também não tive incômodos com os italianos de Veneza. Todas as pessoas foram super educadas comigo, queriam me ajudar, falavam inglês, eram gentis e indicavam os melhores caminhos para eu fazer. 

Veneza foi incrível, achei lindo! Meu maior problema foi que a cidade é MUITO cara, eu não tinha noção de que seria tanto. Definitivamente foi um dos lugares mais caros que visitei na Europa, mas gostei muito da cidade. 

A quantidade de dias sugerida pelo consultor foi o suficiente e eu aproveitei muito. O único detalhe que eu compartilharia com outros viajantes é que lá as coisas fecham muito cedo, então não contaria com uma vida noturna ativa.

Hospedagem em Veneza

Em Veneza eu me hospedei no hostel Generator Venice e achei o hostel super legal! A localização era boa, o atendimento muito bom e a decoração lindíssima. Recomendo.

Para ter dicas de hospedagem, locomoção e o que fazer em Veneza, acesse o artigo do blog com tudo sobre a cidade.

Milão

Fiquei pouco em Milão, mas acredito que tenha sido o suficiente para eu ver grande parte das atrações. Eu teria optado por ficar um pouco mais, talvez um dia seria o bastante. 

Gostei muito de Milão, tive uma ótima experiência. As pessoas falavam inglês de boa comigo, não tive problemas de comunicação, locomoção, nada. Aliás, achei as coisas bem perto umas das outras, fácil de conhecer. Infelizmente, eu estava com um pouco de dor no corpo porque não estou acostumada a andar tanto como estava fazendo na viagem. Por isso, não aproveitei tanto quanto eu gostaria, mas gostei muito. 

A única dificuldade em Milão foi o fato do aeroporto onde eu ia pegar o avião para Barcelona ser longíssimo! Mas tudo bem, aeroporto costuma ser longe mesmo. 🙂 

Hospedagem em Milão

O hostel que eu fiquei em Milão foi o YellowSquare Milan e ele era incrível, eu voltaria na cidade só para ficar lá de novo! A decoração era simples e linda, com desenhos detalhados de animais, e as pessoas eram muito simpáticas, além da localização próxima ao metrô.

Para conferir outras hospedagens aprovadas pelos clientes da consultoria em Milão, é só acessar o artigo completo aqui no site.

primeira viagem sozinha para a europa

Barcelona

De Milão fui para terras espanholas, mais especificamente para Barcelona. Adorei o lugar, achei muito bonito. Tanto lá quanto no destino seguinte, Madri, eu tive um leve problema de comunicação, porque não era todo mundo que falava inglês, mas deu pra embaralhar num portunhol que eles costumam entender. 

Essa dificuldade de comunicação não me impediu, consegui falar inglês com grande parte das pessoas e, quando não falavam inglês, conseguimos dar um jeito. Afinal, mesmo em cidades turísticas, ninguém é obrigado a saber inglês. 

Hospedagem em Barcelona

Em Barcelona eu fiquei hospedada na Nuevo Balmes Habitaciones, e achei a residência muito boa! A localização era ótima, perto da Casa de Gaudi, fácil de pegar metrô e trem, sem problemas. Minha única questão na hospedagem foram os outros hóspedes, mas isso não tinha nada a ver com o lugar.

Para acessar outras recomendações de hospedagens aprovadas pelos clientes da consultoria em Barcelona, acesse o artigo completo no blog.

Madri

A minha estadia em Madri foi muito boa, achei simples de locomover e as pessoas muito educadas. Algumas pessoas também não falavam inglês, mas não tive dificuldades e a comunicação aconteceu, de certo modo. 

Hospedagem em Madri

O hotel que eu fiquei em Madri foi o Social – Coliving & Coworking – Madrid e também era muito bom. A localização era a melhor parte, porque era bem no centro, na praça Puerta del Sol. O hotel é excelente, um pouco escondidinho, mas rola de encontrar tranquilo.

Para encontrar outras hospedagens testadas e aprovadas em Madri pelos clientes da consultoria, acesse o artigo completo aqui no blog.

Lisboa

Adorei Lisboa, tive uma ótima experiência na cidade. Não tive nenhum problema de comunicação, obviamente. Só não achei a cidade boa em questão de transporte, pois eles não tem muito a questão de metrô e trem.

Pessoalmente, eu não andei de bondinho, porque tinha muita gente e eu não tive paciência, mas a locomoção é um pouquinho bagunçada. Você consegue pegar o metrô de um lugar ou outro, mas você vai andar bastante. Além disso, você também pode querer pegar o ônibus, mas eu não quis me arriscar porque eu não sei lidar bem com ônibus. 

Apesar disso, tem um artigo completo no blog com tudo sobre Lisboa, e dá uma boa ideia de como utilizar o transporte público por lá, além de outras dicas.

Fora isso, tive uma estadia excelente em Lisboa, fui muito bem tratada. Confesso que eu estava com um certo medo de ir pra lá, porque ouvi falar que os portugueses não gostavam muito de brasileiros, que falavam mal de nós brasileiros e eram um pouco preconceituosos. Fico feliz em dizer que não tive contato com essa realidade e fui muito bem tratada!

A temperatura também estava muito agradável, quente, por volta dos 30º, o lugar com mais calor dessa viagem e achei ótimo. Além disso, achei Lisboa um dos lugares mais baratos que visitei, Lisboa e Atenas.

Hospedagem em Lisboa

Adorei o hostel que eu fiquei em Lisboa, o Home Lisbon Hostel. A localização era ótima, o lugar era agradável e com várias atividades legais.

Londres

Minha experiência em Londres foi boa, gostei muito da cidade. Não tive problemas em questão de locomoção e comunicação, meu problema foi com o hostel que fiquei. Conto o motivo a seguir.

Hospedagem em Londres

O meu primeiro problema aconteceu já quando cheguei no hostel e tinha uma menina deitada na minha cama. Em Barcelona isso também aconteceu, mas eles me responderam na hora falando que ela tinha trocado e eles esqueceram de me avisar. Porém, em Londres a comunicação era péssima e eles demoravam muito para responder.

Nessa situação, eu tive que descer até a recepção, esperar eles tirarem a menina, arrumarem tudo de novo e eu poder subir. Outro problema do hostel, além da péssima comunicação, o wifi também era horrível, só dava pra usar na recepção e às vezes nem isso. 

Em terceiro lugar, não tinha água quente no hostel, isso foi um problema muito grande e todos os hóspedes que estavam lá também reclamaram. Eu entendo que hostel não tem o conforto do hotel, mas um país fazendo 15º a hospedagem não ter chuveiro quente? É o mínimo.

Apesar disso, a localização era até bem boa, há 5 minutos do metrô. Mas é importante que eles melhorem a comunicação, wifi e os chuveiros. O nome do lugar é St. Christoffer Inn Oasis.

Para conhecer outras hospedagens em Londres que foram aprovadas pelos clientes da consultoria e/ou o consultor, acesse o artigo completo no blog e não corra o risco de passar por uma situação parecida.

Paris

Em Paris eu achei que tudo era muito longe, fiquei impressionada. Apesar de não ter tido problemas de locomoção, o tempo todo tive que andar de metrô. Cada atração era em um canto e parecia tudo muito distante, como eu estava acostumada com tudo perto nos outros lugares, fez bastante diferença. 

Sobre a comunicação, ao contrário dos meus receios, eu não tive problemas com os parisienses. Todos falavam inglês comigo tranquilo e até os que não sabiam nós achávamos formas de nos comunicar. Eu confesso que eu estava com medo de ir para Paris, porque também ouvi mal dos franceses a respeito de falar em inglês.

Hospedagem em Paris 

O hostel que fiquei em Paris foi o Joe e Joe, e achei super legal! Super confortável, comparando inclusive com os demais hostels que fiquei. A localização também era ok, considerando o que falei sobre tudo ser longe.

Aqui no blog também tem um artigo completinho com outras dicas de hospedagens em Paris já testadas e aprovadas pelos clientes da consultoria.

Bruxelas

Fiquei umas horinhas em Bruxelas, por volta de 5 a 6 horas, e gostei do que vi. Fiquei mais andando, gostei bastante, voltaria pra ver mais porque foi bem rápido. Não fiquei em nenhum hotel, pois passei de trem, fiquei pra conhecer e já fui pra Amsterdã direto. 

Se você também for passar por Bruxelas e quiser dicas mais profundas, aqui no blog tem um artigo completo com tudo sobre a cidade. Recomendo!

Amsterdã

Gostei muito de Amsterdã, mas era bem mais cara do que eu esperava. Todo mundo se comunicava em inglês, e a comunicação foi ótima. A locomoção eu achei ruim. Eu não andei no bondinho para testar, mas a maioria das pessoas se locomove de bicicleta. 

As melhores opções são andar de bondinho, alugar uma bicicleta ou andar a pé. Eu fiz tudo a pé, porque era pequeno e tranquilo pra mim. O meu único problema em Amsterdã foi a quantidade de assédio que eu sofri! Não sei se foi bem um assédio, foi mais as pessoas me parando muito na rua (homens). Em um mesmo dia eu fui parada por 3 homens na rua.

O primeiro elogiou meu estilo, outro ficou perguntando da minha vida, onde eu estava hospedada, bem interrogatório, e o terceiro literalmente me seguiu. Eu confesso que fiquei com um pouco de receio de andar na rua e ser perseguida, mas nos outros dias não tive problemas. A galera era super gente boa, me tratava muito bem, deu tudo certo, todo mundo falava inglês e isso facilitou bastante. 

Hospedagem em Amsterdã

Gostei do hostel que eu fiquei em Amsterdã, o ClinkNOORD Hostel, muito bom. Tive um leve problema no começo no cadastro porque não recebi o email, mas consegui resolver. Além disso, para chegar no hostel tinha que pegar um barco, mas ele era gratuito e 24h. 

Para quem quer outras dicas de hospedagens de diversos padrões e valores, é só acessar o artigo do blog com tudo sobre Amsterdã. Lá tem desde acomodações, até formas de se locomover, atrações e muito mais.

O que mais? Valores, segurança e transporte na viagem

Percepção dos preços

Em relação aos preços, os países mais baratos que visitei foram a Grécia e Portugal, achei os dois muito baratos. Agora, achei Veneza, Londres e Paris extremamente caros e, surpreendentemente, Amsterdã também. 

Os outros lugares, Roma, Milão, Barcelona, Madri, eu achei meio que a mesma faixa de preço, mas esses quatro foram realmente muito caros. Veneza, inclusive, mais do que os demais.

Sendo mulher e viajando sozinha

Em questão de andar sozinha não tive problema em nenhum país, só em Amsterdã que teve essa situação que narrei acima. Também fui parada por dois caras em Milão para pedir cigarro e me elogiar, mas percebi que quando eles param você na rua eles não são agressivos, aceitam e compreendem o ‘não’, mas ainda é desagradável. 

Além disso, também teve uma pessoa que me parou em Paris, que queria falar comigo. Ele não falava em inglês direito e eu fiquei meio assustada porque estava focada em outras coisas, mas de resto não tive problemas. 

Transporte e locomoção

Em Veneza, Atenas e Roma eu não tive problemas de locomoção. Andei mais de metrô e trem, não andei de ônibus em nenhum dos lugares porque não consigo entender direito os esquemas do ônibus, então evitei. Só andei de trem, metrô, barco e a pé. Para mim funcionou.

Giulia
Cotia/SP
Data da viagem: março de 2023

E aí, pronta para viajar sozinha, assim como a Giulia?

Preencha um briefing gratuito para receber o auxílio do consultor Rogério Milani e saber tudo que você precisa para realizar esse sonho!

Além disso, se ainda precisar de inspiração, confira dos demais artigos no blog com relatos, dicas de viagem e muito mais!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conhecendo os arredores de Paris: 5 lugares incríveis para bate-voltas

Conhecendo os arredores de Paris: 5 lugares incríveis para bate-voltas

á pensou em visitar Paris e, além disso, conhecer outros lugares incríveis que ficam bem pertinho da capital francesa fazendo bate-voltas? Neste artigo, falaremos sobre destinos como o Palácio de Versailles, Castelo de Chantily, Vale do Loire, Disneyland Paris e os Jardins de Monet em Giverny e como chegar até lá.

Recomendados por Rogério Milani para uma viagem perfeita

Guias, transfers, hospedagens e outros serviços para sua viagem.
Conheça nossos parceiros!
Alugue seu carro com a Rentcars
Reserve seu hotel no exterior com a segurança do Código de Defesa do Consumidor do Brasil
Compre seu ticket de trem em português e com poucos cliques
Evite filas nas atrações turísticas e programe seus bate-voltas comprando ingressos e passeios antecipados com a Tiqets/Ticketbar
Compare e compre seu voo com Skyscanner
Viaje com tranquilidade emitindo seu seguro viagem com a Real Seguros
Cartões de débito para viagem com o melhor câmbio e as menores taxas do mercado! Eu recomendo a Wise
Já pensou ter custo zero com sua hospedagem nas próximas viagens? Então conheça a Home Exchange!
Artigos e equipamentos recomendados para sua próxima viagem!